Minha história

1998

Aos 19 anos, iniciou a graduação em Medicina na Fundação Educacional Serra dos Órgãos (FESO).

1998
2004

Na Escola Nacional de Saúde Pública (Fiocruz), Daniel Soranz iniciou sua especialização em Saúde Pública.

Tornou-se Médico de Família.

2004
2006

Iniciou o Mestrado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

2006
2009

Assumiu o posto de Subsecretário de Atenção Primária, Vigilância e Promoção da Saúde da cidade do Rio e esteve à frente do processo de expansão da cobertura da Estratégia Saúde da Família (ESF) na cidade do Rio de Janeiro.

Criou e implementou as clínicas da família, o que permitiu aumentar a cobertura de saúde da família de 3,5% para 70% da população entre 2009 e 2016, beneficiando 4,3 milhões de cariocas.

Participou da criação do Programa Academia Carioca, que já beneficiou 190 mil pessoas.

2009
2010

Participou da elaboração do Programa de Atenção Domiciliar ao Idoso.

2010
2011

Participou da criação  do Programa Cegonha Carioca, que já atendeu mais de 1,15 milhão de gestantes no Rio.

2011
2012

Criou o Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade  (PRMFC-Rio), a fim de formar profissionais aptos para atuar nas unidades de Atenção Primária.

2012
2013

Iniciou o Doutorado em Saúde Pública – Epidemiologia na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituição em que é professor e pesquisador.

2013
2014

Em julho, assumiu o cargo de Secretário Municipal de Saúde da cidade do Rio de Janeiro.

2014
2015

Defendeu a criação do Dia do Orgulho SUS no município do Rio, data que, hoje, é  comemorada nacionalmente em 21 de março.

2015
2016

Foi responsável pela organização do sistema de saúde da cidade do Rio durante as Olimpíadas de 2016.

Recebeu, em nome do Brasil, o prêmio WONCA, que é concedido ao país mais bem sucedido ao oferecer e expandir a  medicina da família e comunidade. O Rio de Janeiro é a cidade que mais avançou no modelo.

2016
2018

Em Maricá, desenvolveu um projeto de inovação na Atenção Primária à Saúde, ampliando e qualificando a assistência à população local.

2018
2019

Implantou o Laboratório de Inovação na Atenção Primária à Saúde, em Campo Grande – Mato Grosso do Sul, com o objetivo de desenvolver tecnologias aplicáveis aos trabalho dos profissionais de Saúde da Família.

Em Mesquita, implantou o Programa de Residência em Medicina e Saúde da Família.

2019
2021

Em janeiro, reassumiu o cargo de secretário Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, em plena pandemia da covid-19.

Fez parte da elaboração do Plano de Contingência do Município do Rio de Janeiro para o enfrentamento da covid-19 na cidade. Instituiu o Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 (CEEC) e o Centro de Operações de Emergência da Covid-19, para monitoramento da doença e tomada de decisões, já em seu primeiro dia de gestão.

Deu início à vacinação contra a covid-19 no município do Rio, uma das maiores campanhas do país, com tomadas de decisão pioneiras que impactaram no crescimento da cobertura vacinal.

2021
2022

Foi um dos idealizadores do CIE (Centro de Inteligência Epidemiológica), portal de monitoramento para auxiliar nas decisões em saúde pública.

Em março, deixou o cargo de secretário municipal de saúde do Rio para disputar as eleições para deputado federal.

2022
1998

Aos 19 anos, iniciou a graduação em Medicina na Fundação Educacional Serra dos Órgãos (FESO).

1998
2004

Na Escola Nacional de Saúde Pública (Fiocruz), Daniel Soranz iniciou sua especialização em Saúde Pública.

Tornou-se Médico de Família.

2004
2006

Iniciou o Mestrado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

2006
2009

Assumiu o posto de Subsecretário de Atenção Primária, Vigilância e Promoção da Saúde da cidade do Rio e esteve à frente do processo de expansão da cobertura da Estratégia Saúde da Família (ESF) na cidade do Rio de Janeiro.

Criou e implementou as clínicas da família, o que permitiu aumentar a cobertura de saúde da família de 3,5% para 70% da população entre 2009 e 2016, beneficiando 4,3 milhões de cariocas.

Participou da criação do Programa Academia Carioca, que já beneficiou 190 mil pessoas.

2009
2010

Participou da elaboração do Programa de Atenção Domiciliar ao Idoso.

2010
2011

Participou da criação  do Programa Cegonha Carioca, que já atendeu mais de 1,15 milhão de gestantes no Rio.

2011
2012

Criou o Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade  (PRMFC-Rio), a fim de formar profissionais aptos para atuar nas unidades de Atenção Primária.

2012
2013

Iniciou o Doutorado em Saúde Pública – Epidemiologia na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituição em que é professor e pesquisador.

2013
2014

Em julho, assumiu o cargo de Secretário Municipal de Saúde da cidade do Rio de Janeiro.

2014
2015

Defendeu a criação do Dia do Orgulho SUS no município do Rio, data que, hoje, é  comemorada nacionalmente em 21 de março.

2015
2016

Foi responsável pela organização do sistema de saúde da cidade do Rio durante as Olimpíadas de 2016.

Recebeu, em nome do Brasil, o prêmio WONCA, que é concedido ao país mais bem sucedido ao oferecer e expandir a  medicina da família e comunidade. O Rio de Janeiro é a cidade que mais avançou no modelo.

2016
2018

Em Maricá, desenvolveu um projeto de inovação na Atenção Primária à Saúde, ampliando e qualificando a assistência à população local.

2018
2019

Implantou o Laboratório de Inovação na Atenção Primária à Saúde, em Campo Grande – Mato Grosso do Sul, com o objetivo de desenvolver tecnologias aplicáveis aos trabalho dos profissionais de Saúde da Família.

Em Mesquita, implantou o Programa de Residência em Medicina e Saúde da Família.

2019
2021

Em janeiro, reassumiu o cargo de secretário Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, em plena pandemia da covid-19.

Fez parte da elaboração do Plano de Contingência do Município do Rio de Janeiro para o enfrentamento da covid-19 na cidade. Instituiu o Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 (CEEC) e o Centro de Operações de Emergência da Covid-19, para monitoramento da doença e tomada de decisões, já em seu primeiro dia de gestão.

Deu início à vacinação contra a covid-19 no município do Rio, uma das maiores campanhas do país, com tomadas de decisão pioneiras que impactaram no crescimento da cobertura vacinal.

2021
2022

Foi um dos idealizadores do CIE (Centro de Inteligência Epidemiológica), portal de monitoramento para auxiliar nas decisões em saúde pública.

Em março, deixou o cargo de secretário municipal de saúde do Rio para disputar as eleições para deputado federal.

2022
Skip to content